domingo, 11 de maio de 2008

Uma culpa desculpada

Mesmo você dizendo
Todas as palavras;
Enquanto eu deito no chão frio,
Numa noite fria e estrelada,
O sentimento de culpa ainda existi;

Pode ser mesmo que não tenha culpa,
Mas consciência é algo perdido,
E difícil de se mudar.

Ainda que eu olhe
O espelho,
Me culpando pelo que fiz,
E eu sei que fiz o certo;

Mas o certo causa muitos danos,
Tanto no coração,
Quanto nas nossas cabeças.

Mas é difícil deixar de escrever
Tudo aquilo que eu disse,
Quando existem flores
Em todos os lados,
Em todas as camas e pensamentos,
Apenas sonho mais e mais vezes
Com essas flores,
Que felizmente nunca morrerão.

Nícholas Mendes

3 comentários:

juliana disse...

ahh que lindo!

..poxa vida..cada vez me encanto mais com suas poesias sabia?!

^^

mariana disse...

ainnnn!!! lindooo paka's neh...
superr juh...
Parabéns Nícolas...suas palavras assopram u coraçao e tocam na alma!!!
*..*

aleeh disse...

*---*
Nossa, voce escreve muito beem *-*
Liindo! ;]
Continuee assim !!
;**

Notas do autor:

Coloquemos uma coisa na nossa cabeça;
Que ainda falta muito para um final.
Afinal ninguém define um final
Sem se empenhar no começo.

O final não é sinônimo de morte,
Não é antítese de início,
Não se compara com a vida
E não significa própriamente um final.

Se por acaso seu começo é fraco
E ainda teme um final,
Simples
Viva sempre no meio;
Pois é ai que você pensa que o livro não tem fim.

Nícholas Mendes (Puck Todd)

Tudo é mais do que pode parecer:

Tudo é mais do que pode parecer:
Veja as coisas com todos os olhos.