segunda-feira, 26 de maio de 2008

Encostos e futuro

Maluco,dos chifres bastardos;
Tu que cuidas do fogo,
Tu que se agradas com todo o ódio,
Tu que guardas todos os errados;
Tenho oportunidade de não te encontrar?

Todas as vezes
Você parece ter poder
E em todas as vezes
Você parece até vencer.

Seus filhos bastardos
Que voltam ao meu mundo
E gritam nos meus ouvidos
Azarações e pragas,
Me atormentam.

São eles que destroem famílias,
Que desunem pessoas fracas
Que depois se tornarão seus soldados.

Mas enquanto asas boas me protegerem,
Enquanto a luz te deixar com medo
E a canção dos anjos de afastar
Continuarei a viver minha vida de mortal.

E profetizo com toda a certeza
Que minh'alma não terás;
Pois ainda hei de viver
Uma vida imortal.

Nícholas Mendes.

Um comentário:

juliana disse...

"..Mas enquanto asas boas me protegerem..
Continuarei a viver minha vida de mortal.."


Meu poeta favorito, me surpreende em cada poesia nova!!
;)

Notas do autor:

Coloquemos uma coisa na nossa cabeça;
Que ainda falta muito para um final.
Afinal ninguém define um final
Sem se empenhar no começo.

O final não é sinônimo de morte,
Não é antítese de início,
Não se compara com a vida
E não significa própriamente um final.

Se por acaso seu começo é fraco
E ainda teme um final,
Simples
Viva sempre no meio;
Pois é ai que você pensa que o livro não tem fim.

Nícholas Mendes (Puck Todd)

Tudo é mais do que pode parecer:

Tudo é mais do que pode parecer:
Veja as coisas com todos os olhos.