domingo, 4 de maio de 2008

Sei como é.


Esse serei eu
Para sempre;
O poeta que se perdeu
No grande caminho do amor.

Não me importa os outros nomes,
Não importa se existem outras flores,
Pois você é
A minha verdadeira natureza.

Sei o quanto é horrível
Se perder
E não ter para onde ir.

Sei bem como é
Querer que tudo seja apenas mais um sonho.

Sei também
Como é não ser ninguém
E também não ter ninguém.

Mas isso é passado
E eu fui ajudado
E aprendi a ajudar,
Para superar
Tudo isso e muito mais.

Foi você,
Que quando conheci,
Me trouxe novas flores
Que cantavam canções
Criadas pelos mais belos pássaros extintos;

Flores que até hoje
Exalam os perfumes
Que levantam e criam
Novas poesias
E deixam seu retrato conservado
E sua pessoa guardada.


Nícholas Mendes.

2 comentários:

juliana disse...

linda!linda!linda!
nossa, cada vez me surpreendo mais ao ler suas poesias!

Parabéns!vc consegue tocar as pessoas com suas poesias!

^^

beijos!

JU

aleeh disse...

*---*
Eh, voce escreve muuuito bem!!

Notas do autor:

Coloquemos uma coisa na nossa cabeça;
Que ainda falta muito para um final.
Afinal ninguém define um final
Sem se empenhar no começo.

O final não é sinônimo de morte,
Não é antítese de início,
Não se compara com a vida
E não significa própriamente um final.

Se por acaso seu começo é fraco
E ainda teme um final,
Simples
Viva sempre no meio;
Pois é ai que você pensa que o livro não tem fim.

Nícholas Mendes (Puck Todd)

Tudo é mais do que pode parecer:

Tudo é mais do que pode parecer:
Veja as coisas com todos os olhos.