quinta-feira, 26 de junho de 2008

Viagem

Posso ter um pequeno tempo
Para te contar várias palavras.
Digo a você que estou perdido.

Estou com medo
E continuo me escondendo
Sofrendo de novo e de novo e de novo,
Prefiro até morrer sozinho,
Mas sabendo que sou amado.

Não quero mais ser um escravo,
Das palavras,
Das músicas e do tempo.

Tudo o que farei agora
É pegar meu papel e meu lápis.

Sairei desse mundo,
Não mais uma vez,
Apenas de novo.

Procurarei novas inspirações,
Outras pessoas,
Procurarei descobrir algumas músicas.

Ficarei por lá,
Me escondendo
E refletindo,
Não mais uma vez,
Apenas de novo e de novo e de novo.

Tenho que pensar e praticar,
Pois posso ter um pequeno tempo
Para te contar várias palavras,
E um longo tempo para te amar.

Nícholas Mendes.

Um comentário:

juliana disse...

lindoo!lindoo!lindoo!
=D

Notas do autor:

Coloquemos uma coisa na nossa cabeça;
Que ainda falta muito para um final.
Afinal ninguém define um final
Sem se empenhar no começo.

O final não é sinônimo de morte,
Não é antítese de início,
Não se compara com a vida
E não significa própriamente um final.

Se por acaso seu começo é fraco
E ainda teme um final,
Simples
Viva sempre no meio;
Pois é ai que você pensa que o livro não tem fim.

Nícholas Mendes (Puck Todd)

Tudo é mais do que pode parecer:

Tudo é mais do que pode parecer:
Veja as coisas com todos os olhos.