quinta-feira, 18 de setembro de 2008

O artista e seu dom

Assim como você não afirma conhecer uma pessoa
Até colocar dinheiro e poder em suas mãos,
Você não conhece todo o talento de uma pessoa
Até deixar para ela,
Ou nela,
Saudades,amores e ódios.

São de desgraças que nascem os artistas
E são dos bons acontecimentos
Que nascem os perfeitos;
E são essas oposições que eles esculpem.

E artista não é ter dom,
Pois reproduzir a arte não é dom.
Dom é ter o poder de sentir essa arte
E se emocionar com tal feito.

Nícholas Mendes (Puck Todd)

2 comentários:

Le fils de la mort disse...

Nunca encontrei uma definição tão bela, simples e profunda para a condição de artista. Acima de tudo, ele nasce da contradição, como síntese, muitas vezes frenética. Enfim, posso tentar descrever o artista de todas as formas que eu posso, mas não chegarei ao seu nível de excelência. E sem dúvida o final desse poema é bárbaro: "Dom é ter o poder de sentir essa arte/E se emocionar com tal feito." Nem preciso dizer que concordo plenamente. Aliás, é impossível discordar das coisas fabulosas que você escreve. Mais uma vez parabéns, e obrigado por escrever tão bem assim. Até o próximo post. XD

juliana disse...

..realmente é isso!sem tirar nem por!
..essa é uma definição muito boa para um artista!
como você!poeta da minha vida!orgulho!

Notas do autor:

Coloquemos uma coisa na nossa cabeça;
Que ainda falta muito para um final.
Afinal ninguém define um final
Sem se empenhar no começo.

O final não é sinônimo de morte,
Não é antítese de início,
Não se compara com a vida
E não significa própriamente um final.

Se por acaso seu começo é fraco
E ainda teme um final,
Simples
Viva sempre no meio;
Pois é ai que você pensa que o livro não tem fim.

Nícholas Mendes (Puck Todd)

Tudo é mais do que pode parecer:

Tudo é mais do que pode parecer:
Veja as coisas com todos os olhos.