segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Meu erro

Pai eu peco
Pela minha boca,
Pois por hora eu te peço:
Afasta de mim esse cálice.

Pai,perdoai-me;
Apelo pela tua bondade,
Pois não sei o que faço.

Nessa encruzilhada que me encrontro,
Peço-te Pai,perdoai-me,
Pois não sei o que faço.

Nessa agonia da hora errada,
Pai,eu peco pela minha mente,
Pois por hora eu penso:
Afasta de mim esse cálice.

Nícholas Mendes (Puck Todd)

2 comentários:

Yuzo disse...

iae nicholas..

esse seu "quem sou eu" ficou meio estranho mano..

Parece manual de auto-ajuda. Escrever não pode ter esse intuito..
Os seus textos parecem mais auto-explicativos, acho que não precisam de explicação..

dahora mano..

aparece lá no meu

uetiyuh.blogspot.com
(sim, não tem o www)

sucesso!!

Anônimo disse...

cara fico massa, eu acho que me encaixaria nesse erro!!!
muito bom ,
continua assim ,
que eu como seu empresário continuo
confiando em vc...
te mais...


Pedro Trava!!!

Notas do autor:

Coloquemos uma coisa na nossa cabeça;
Que ainda falta muito para um final.
Afinal ninguém define um final
Sem se empenhar no começo.

O final não é sinônimo de morte,
Não é antítese de início,
Não se compara com a vida
E não significa própriamente um final.

Se por acaso seu começo é fraco
E ainda teme um final,
Simples
Viva sempre no meio;
Pois é ai que você pensa que o livro não tem fim.

Nícholas Mendes (Puck Todd)

Tudo é mais do que pode parecer:

Tudo é mais do que pode parecer:
Veja as coisas com todos os olhos.