quinta-feira, 3 de julho de 2008

Meus amigos.

Esses são meus amigos
Verdadeiros e leais.
O papel que me acompanha
E a caneta que me escreve.

Mesmo num café,
Nas mais duras noites
Ou pelos caminhos do parque.

É agora minhas amigas;
Descrevam a beleza
Que meus olhos enxergam.

Façam agora
Suas mágicas,
Suas ilusões.

Escrevam as mortes
De um mundo podre
Corrupto
E faminto!

É junto de vocês,
Meus amigos,
Que eu escrevo minha vingança.

É junto de vocês,
Minhas amigas,
Que sacio
A seca de minha vingança.

Nícholas Mendes

Um comentário:

Fernando Neves ~ [ KroSS ® ] disse...

Eitá...
gostei que foi indo pro final...
foi ficando mais macabro!

MEDOOO!
:P

Tá d'hora kra!

Notas do autor:

Coloquemos uma coisa na nossa cabeça;
Que ainda falta muito para um final.
Afinal ninguém define um final
Sem se empenhar no começo.

O final não é sinônimo de morte,
Não é antítese de início,
Não se compara com a vida
E não significa própriamente um final.

Se por acaso seu começo é fraco
E ainda teme um final,
Simples
Viva sempre no meio;
Pois é ai que você pensa que o livro não tem fim.

Nícholas Mendes (Puck Todd)

Tudo é mais do que pode parecer:

Tudo é mais do que pode parecer:
Veja as coisas com todos os olhos.