segunda-feira, 14 de julho de 2008

Ira,o amor enlouquecido.

Tolas as pessoas
Que me visitam;
Tolas as pessoas
Que tentam me ajudar.

Venha,
Pode entrar!
Esperava por você,
Eu queria você.

Meu amor proibido,
Cobiçado
E provocante;

Venha comigo
Se esfregar
Nos lençóis brancos,
E suja-lo de vermelho.

Vagabunda!
...

Nícholas Mendes (Puck Todd)

3 comentários:

juliana disse...

mal secreto!acertei?!
;)

Joice disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Joice disse...

Adorei o poema!
Obrigada.

Notas do autor:

Coloquemos uma coisa na nossa cabeça;
Que ainda falta muito para um final.
Afinal ninguém define um final
Sem se empenhar no começo.

O final não é sinônimo de morte,
Não é antítese de início,
Não se compara com a vida
E não significa própriamente um final.

Se por acaso seu começo é fraco
E ainda teme um final,
Simples
Viva sempre no meio;
Pois é ai que você pensa que o livro não tem fim.

Nícholas Mendes (Puck Todd)

Tudo é mais do que pode parecer:

Tudo é mais do que pode parecer:
Veja as coisas com todos os olhos.