segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Dona de alma.

Dona das minhas lágrimas,
Não me faças chorar,
Por arrependimentos ou saudades;
Se isso fizer
Por favor que seja por felicidade.

Dona do meu coração,
Não machuque o que eu tanto preso,
Pois esse já está bem ferido;
Se isso fizer
Por favor faça depois de minha morte.

Dona da minha alma
Leve contigo todas as lembranças do meu ser
E guarde-as com carinho;
Não troque por tostão algum.
Se isso fizer
Por favor que não tenha outra escolha.

Dona da minha saudade
Não abandone-me nos sentimentos,
Que são tão puros por ti;
Se isso fizer
Que seja culpa da morte.

Nícholas Mendes (Puck Todd)

2 comentários:

Juliana Galante disse...

que lindo!
nossa..sem comentários!
ps:eu nunca consigo sizer o que quero aqui!huahua

poxa..eu adorei!
parabéns!muito bom mesmo Nih!
vc sempre me serpreende!

.: fena :. disse...

parabeeens together, como sempre escreve muito beem!
add meu blog e da minha amiga ae tb!! :DD

Notas do autor:

Coloquemos uma coisa na nossa cabeça;
Que ainda falta muito para um final.
Afinal ninguém define um final
Sem se empenhar no começo.

O final não é sinônimo de morte,
Não é antítese de início,
Não se compara com a vida
E não significa própriamente um final.

Se por acaso seu começo é fraco
E ainda teme um final,
Simples
Viva sempre no meio;
Pois é ai que você pensa que o livro não tem fim.

Nícholas Mendes (Puck Todd)

Tudo é mais do que pode parecer:

Tudo é mais do que pode parecer:
Veja as coisas com todos os olhos.