domingo, 3 de fevereiro de 2008

Esperança

Se um anjo caísse do céu,
O que você faria?
Se contos de fadas pudessem existir,
Você iria em busca do seu?

Se fadas existicem,
Você acreditaria?

...

Eu te socorri quando você caiu,
Fui em busca do meu verdadeiro
Conto de fadas;
Acreditei quando você disse
Que fadas existiam.

Adoro fantasiar maravilhas
Quando você está ao meu lado.
Viajo em meus pensamentos,
Em minha inspiração.

É difícil admitir
Que tudo um dia acaba,
Muitas vezes
Sem um final feliz.

As melodias que eu ouço
Não mais me consolam.

E ao anoitecer
Eu deito triste em minha cama,
Pois não sinto fome,
Não sinto alegria.

O que me faz olhar para o amanhã
É a minha esperança;
Esperança de que um dia tudo irá mudar,
Que um dia tudo dará certo.

E essa minha esperança
É alimentada,
Não por emoções,
Mas pelos sussurros feitos por você
No passado.

Nícholas.

Um comentário:

Iago disse...

Nesse poema, você traduz perfeitamente a dor que uma perda pode causar. A metáfora do anjo é muito adequada nesse caso, pois representa todas as idealizações que construímos em cima de algo, mas que depois se mostram vazias. Posso dizer que "Esperança" é uma das melhores expressões do Romantismo moderno, que une ao mesmo tempo um platonismo há muito tempo explorado e um certo tom de melancolia esperançosa, com todas as nuances que a vida nos apresenta. Impossível não se identificar com esse poema. Tenho certeza de que você é um grande mestre, um retratista dos sentimentos humanos, cuja maior característica é a grande sinceridade que seus escritos nos tocam. Mais uma vez parabéns, e, a título de conselho pessoal, vale uma frase que uma amiga disse: "You will find only pain living in the past". Até a próxima.

Notas do autor:

Coloquemos uma coisa na nossa cabeça;
Que ainda falta muito para um final.
Afinal ninguém define um final
Sem se empenhar no começo.

O final não é sinônimo de morte,
Não é antítese de início,
Não se compara com a vida
E não significa própriamente um final.

Se por acaso seu começo é fraco
E ainda teme um final,
Simples
Viva sempre no meio;
Pois é ai que você pensa que o livro não tem fim.

Nícholas Mendes (Puck Todd)

Tudo é mais do que pode parecer:

Tudo é mais do que pode parecer:
Veja as coisas com todos os olhos.