domingo, 10 de fevereiro de 2008

Emoções

Me afogo em pensamentos,
Que me trazem
Lembranças de tragédias,
Discórdias.

Deitado sobre o leito de um rio
Com o sol em minha face
Eu penso em minha felicidade.

Mas esses dias acabam
Quando chega a tempestade.

Trovões me assustam,
Me afugentam de minha floresta;
Rios que me consolavam
Me afogam.

Os espíritos dessa selva
Me agridem,
Querendo a minha saída,
Querendo a minha ajuda.

Oceanos se rebelam,
Se colidem
E se separam
Com a chegada de tempos ruins.

Não sou eu que os controlo,
Pois emoções
Não podem ser controladas.

São elas que sussurram,
Em meus ouvidos,
As atitudes que eu tomo,
Os pensamentos que eu penso.

Nícholas.

Um comentário:

Renata disse...

AAAAAAAADOREI pra variar um pocuo né. HIOHAOSIHOIAS /hm

Notas do autor:

Coloquemos uma coisa na nossa cabeça;
Que ainda falta muito para um final.
Afinal ninguém define um final
Sem se empenhar no começo.

O final não é sinônimo de morte,
Não é antítese de início,
Não se compara com a vida
E não significa própriamente um final.

Se por acaso seu começo é fraco
E ainda teme um final,
Simples
Viva sempre no meio;
Pois é ai que você pensa que o livro não tem fim.

Nícholas Mendes (Puck Todd)

Tudo é mais do que pode parecer:

Tudo é mais do que pode parecer:
Veja as coisas com todos os olhos.