segunda-feira, 21 de janeiro de 2008

Olhos azuis

"Essa poesia já é meio antiga;estou postando-a,pois não fiz uma nova ainda"

Seus olhos azuis como o gelo
Me congelaram;
Me tornei escravo de sua beleza
E amante de suas palavras.

Ansioso por ouvir sua voz,
Louco para te encontrar,
Esperançoso por um abraço,
Por mais um beijo...

São esses símbolos de amor
Que eu espero;

Com a graça de uma criança
Esperando pelo natal.

Quero pegar em suas mãos
Para que você me guie,
Me leve para o paraíso
E me deixe ao seu lado.

Seu sorriso me faz sorrir.
Seu olhar me faz te amar;
Sua presença me faz feliz.

Mesmo que calados.
Espero ainda estar ao seu lado.


Nícholas.

2 comentários:

Laís disse...

ainda preciso fla??

uma poesia + linda q a outra
^^

bjoo
;**

marisa disse...

ameei todas ;D
uma melhor que a outra nih *
amei mesmo ;p

Beeijo ;**

Notas do autor:

Coloquemos uma coisa na nossa cabeça;
Que ainda falta muito para um final.
Afinal ninguém define um final
Sem se empenhar no começo.

O final não é sinônimo de morte,
Não é antítese de início,
Não se compara com a vida
E não significa própriamente um final.

Se por acaso seu começo é fraco
E ainda teme um final,
Simples
Viva sempre no meio;
Pois é ai que você pensa que o livro não tem fim.

Nícholas Mendes (Puck Todd)

Tudo é mais do que pode parecer:

Tudo é mais do que pode parecer:
Veja as coisas com todos os olhos.