terça-feira, 11 de novembro de 2008

Vem!

Vem loira,
Me embreagar com seus cabelos;
Vem me viciar com suas poses,
Me conquistar com tais pedidos
E até me rejeitar com suas
[desfeitas.

Vem fada,
Me envenenar com seu silêncio;
Vem me amarrar com a sua cara,
Me desmanchar com alguns beijos
E até me afastar com seus
[apertos.

Vem santa,
Me crucificar com seu abandono;
Vem me matar com seu ciúmes
Me apedrejar com outras mordidas
E até me banhar com suas
[lágrimas.

Vem deusa,
Me infectar com seu cheiro;
Vem me cantar com seus versos brancos,
Me pragejar com tantas incertezas
E até me pregar com suas
[despedidas.

Vem guerreira,
Me apunhalar com seus desgostos;
Vem me afogar com seus desesperos,
Me queimar com discretos atos
E até me sufocar com seus
[reencontros.

Vem flor,
Me espetar com suas mãos;
Vem me enterrar com suas mentiras,
Me jogar ao vento com aquele suspiro
E até me reviver com seus
[olhares.

Para que eu possa
Te amar infinito
Nesse breve;
[pesadelo que se passa.

Nícholas Mendes (Puck Todd)

2 comentários:

Fernando Neves [ KroSS® ] disse...

Meu... sério. Não tenho palavras pra tudo isso, então apenas digo: esplêndido. Acho até que é pouco, porém nesse caso não sei me expressar...

Desculpa, mas eu não sei o qu'eu senti lendo isso. Foi místico demais.

Não vou dizer parabéns pra não quebrar o clima de perfeição.

Sublime.

Le fils de la mort disse...

E lá vem você com mais um poema simplesmente divino... Meu, na boa, tô ficando sem adjetivos pra comentar aqui!

Muitos poetas penaram durante muitas noites sem sono pra conseguir descrever a mulher em sua plenitude, e você, com seu talento genial, expõe em alguns versos todas as facetas que as musas nos apresentam. Nem preciso dizer que isso já foi fantástico.

Mas você não contenta-se com o fantástico, quer sempre a perfeição, como todo (bom) artista. E, mais uma vez, você alcança-a, principalmente na última estrofe: "Para que eu possa/Te amar infinito/Nesse breve/pesadelo que se passa."´

Parabéns de novo (e de novo e de novo e de novo...), você com certeza produz a melhor poesia que eu já pude ler, continue sempre assim. Flw, até mais.

P.S.: espero que você não cobre direitos autorais por colocar seus versos na "mensagem pessoal" XD.

Notas do autor:

Coloquemos uma coisa na nossa cabeça;
Que ainda falta muito para um final.
Afinal ninguém define um final
Sem se empenhar no começo.

O final não é sinônimo de morte,
Não é antítese de início,
Não se compara com a vida
E não significa própriamente um final.

Se por acaso seu começo é fraco
E ainda teme um final,
Simples
Viva sempre no meio;
Pois é ai que você pensa que o livro não tem fim.

Nícholas Mendes (Puck Todd)

Tudo é mais do que pode parecer:

Tudo é mais do que pode parecer:
Veja as coisas com todos os olhos.