terça-feira, 4 de novembro de 2008

Poema do amor à Tanrea

Era tanto meu amor por Tanrea
Que as ilusões tomavam o lugar da realidade
Fazendo-me delirar em orgasmos românticos
Que nunca experimentei nos seios dela.

Era tanto meu amor por Tanrea
Que enxergava belezas,
Enxergava até mesmo céu,
No inferno que era seu coração.

Era tanto meu amor por Tanrea
Que me rendia a ela,
Me rendia aos seus gostos
Em troca de outros gozos.

Foi tanto meu medo de Tanrea
Que resolvi me esconder,
Deixas as coisas mais sublimes
E da um olá em uma nova era.

Nícholas Mendes (Puck Todd)

4 comentários:

Fernando Neves [ KroSS® ] disse...

Bom. Acho qu'eu não tenho muito a dizer aqui, visto que está um excelente trabalho.
Agora, falando de como me comoveu... é aquela, né: gosto de poemas idealizadores e românticos, mas as vezes não me sinto bem lendo eles.
>.<'

Bom. Acho que é isso, Nícholas.
Teus poemas são legais, idealizados e esse nome beeeeem peculiar Tanrea, chamam-me a atenção. Gostei.

Flw ae!
Parabéns!

Juliana Galante disse...

eeh tanrea em Nih!
;)
muito bom o poema, gostei muito mesmo!
eu acho bem legal isso..de escrever vários poemas, usando o nome de uma única pessoa!gosto muito!

Parabéns!

Le fils de la mort disse...

Juro que eu realmente pensei que estivesse lendo um poema de Álvares de Azevedo! Ficou muito bom mesmo, você praticamente encarnou o Romantismo na sua forma mais sublime, produzindo um texto fantástico.

Já disse que você tem uma técnica ótima, uma carga semântica melhor ainda, mas não consigo deixar de repetir isso, pois seus poemas são o tipo de coisa que gravam e não nos deixam mais.

Gostei especialmente dos trechos "Enxergava até mesmo o céu/No inferno que era seu coração" e "Me rendia aos seus gostos/Em troca de outros gozos". Se existe perfeição, pode ter certeza de que ela reside nesses versos.

Mais uma vez parabéns pelo excelente poeta que você é, continue escrevendo e nunca desista de Tanrea, que ela sempre vai ser sua melhor inspiração. Até o próximo post!

Felipe Fernandes disse...

ahhhhhhhhhhhh
café com queijo???


MEU PARABENSSSS
MUITO BOM O POEMA
VLWWW
;D

Notas do autor:

Coloquemos uma coisa na nossa cabeça;
Que ainda falta muito para um final.
Afinal ninguém define um final
Sem se empenhar no começo.

O final não é sinônimo de morte,
Não é antítese de início,
Não se compara com a vida
E não significa própriamente um final.

Se por acaso seu começo é fraco
E ainda teme um final,
Simples
Viva sempre no meio;
Pois é ai que você pensa que o livro não tem fim.

Nícholas Mendes (Puck Todd)

Tudo é mais do que pode parecer:

Tudo é mais do que pode parecer:
Veja as coisas com todos os olhos.