quarta-feira, 5 de março de 2008

Rosa escura

Se a cada campo que passo,
Se a cada campo que olho,
Se a cada campo que conheço
São todos iguais,
então por que viajar?

De que adinata ter recebido flores
Se hoje elas morrem?
De que adianta subir escadas
Se algum dia vamos desce-las?

Você me deu a rosa que me ensinou;
Você é a rosa envenenada
Por raivas e mintiras.

Você foi a rosa
Que me encantou,
Mas hoje
Você é a minha rosa escura.

Você foi a rosa
Que murchou;
Você foi a rosa
Que me furou o coração
Fazendo-me chorar.

Nicholas Mendes.

Um comentário:

Renata disse...

triiiiiste ;| mais é linda mesmo assim!

Notas do autor:

Coloquemos uma coisa na nossa cabeça;
Que ainda falta muito para um final.
Afinal ninguém define um final
Sem se empenhar no começo.

O final não é sinônimo de morte,
Não é antítese de início,
Não se compara com a vida
E não significa própriamente um final.

Se por acaso seu começo é fraco
E ainda teme um final,
Simples
Viva sempre no meio;
Pois é ai que você pensa que o livro não tem fim.

Nícholas Mendes (Puck Todd)

Tudo é mais do que pode parecer:

Tudo é mais do que pode parecer:
Veja as coisas com todos os olhos.