segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

III-Cabelos

Ainda tem os teus cabelos,
Longos,sedutores e cheirosos.
Existe, por alguma dádiva,
Definição poética para essa cabeleira?

Minhas mãos precoces,
Inocentes e adolecentes
Teimam em acariciá-los
Por inteiro e por eterno.

Não brinque,
Fanático leitor,
Dos meus gostos
Ou de meus versos.

Poucos têm tal coragem,
Inpiração,
Ou qualquer outro talento
Para descrevê-los.

E como nomear,
Toda aquela cabeleira,
Trançada ou solta?

Existe definição,
Ao menos sonhadora o bastante,
Para dá-los?

Cabelos estrelados?
Vá... Vá...
Algum leitor há de ver poesia nestes versos.
Nestes cabelos estrelados
Em madrugada noturna.

Nícholas Mendes (Puck Todd)

4 comentários:

Juliana Galante disse...

eu vejo nao só posia nesses versos.. vejo muito mais.. milhoes de sentimentos!

lindo!simplismente lindo!voce vai descreve-la(o) enteira(o).. corpo e alma?!
DIZ QUE SIM!

*_*

parabéns!

Le fils de la mort disse...

Você, nessa sua série "descrevendo a mulher amada", conseguiu captar com perfeição todas as nuances da visão que só o amor pode proporcionar.

Pode parecer contradição, mas eu definiria esses poemas como "realismo romântico", pois você escreve-os com tanta paixão que os sentimentos tornam-se tão reais quanto esse teclado em que escrevo.

Não posso deixar de comentar o final, que me tirou as palavras tamanha a sua genialidade. Só me resta dizer parabéns, e que fique claro: a cada dia eu reverencio você ainda mais. Até o próximo post!

Capitu disse...

AFFF muito lindo
Você está descrevendo a sua alma gêmea é isso?
Quero ver o último poema como será?
Estou anciosa!!!
Parabéns pela sua obra

Mileni Vanalli disse...

realmente, esse poema deixou as emoções fluírem.
Você definiu o indefinível e isso é um dom para poucos.
Parabéns, Nícholas, você vai longe! :D

Notas do autor:

Coloquemos uma coisa na nossa cabeça;
Que ainda falta muito para um final.
Afinal ninguém define um final
Sem se empenhar no começo.

O final não é sinônimo de morte,
Não é antítese de início,
Não se compara com a vida
E não significa própriamente um final.

Se por acaso seu começo é fraco
E ainda teme um final,
Simples
Viva sempre no meio;
Pois é ai que você pensa que o livro não tem fim.

Nícholas Mendes (Puck Todd)

Tudo é mais do que pode parecer:

Tudo é mais do que pode parecer:
Veja as coisas com todos os olhos.