quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

I-Olhos.

Diga-me alguém
O que foram aqueles olhos?
Tão belos e profundos
Que brilhavam com intensidade das estrelas.

Poderei dizer,
Como Machado já disse:
"Olhos de cigana,
Oblíqua e dissimulada;
Verdadeiros olhos de ressaca."

Mas não é suficiente.
Dar-lhes um nome
Ao menos poético suficiente
Para comparar-se com suas grandezas
É essencial.

Olhos de grandezas
Tais quanto os do mar
Ou os do céu.

Vá lá assim.
Olhos de grandezas.

Não zomba-me,
Leitor sonhador,
Da minha definição precoce;
É dai que me vem a inocência.

Nícholas Mendes (Puck Todd)

4 comentários:

Le fils de la mort disse...

Realmente, você não podia deixar de falar dos olhos, essas duas esferas tão intrigantes, que seduziu até mesmo o nome maior da nossa Literatura, o inigualável Machado de Assis.

Enquanto lia seu poema, pude visualizar diante de mim os olhos de Capitu, seja lá como eles sejam, pois tenho certeza de que causam exatamente o efeito que você descreveu.

Sem dúvida, não há melhor definição que a sua para olhos tão fascinantes. "Olhos de grandeza". Uma profundidade enorme, capaz de traduzir o tudo que os olhos expressam.

Mais uma vez infinitos parabéns, e continue com essa maravilhosa veia poética, que um dia você ainda vai ter a glória que merece. Até o próximo post!

Juliana Galante disse...

Os olhos de uma pessoa de alma pura dizem tudo, muito mais que mil palavras.. e isso vc definil bem aqui... os olhos de uma pessoa de alma pura..
parabéns!
vc é incrivel Nic!me sinto muito feliz em saber que foi voce minha inspiração pra escrever!

obrigada!

fabby disse...

gosto de algumas palavras em particular QUANTO,MAR, CÉU, e do diálogo que insisti em ter com o leitor..magnífico..amei.
:)

bê! disse...

aah, suas poesias são perfeitas né.. não tem nem oqe dizer, perfeitas *-* ameeei ;)

Notas do autor:

Coloquemos uma coisa na nossa cabeça;
Que ainda falta muito para um final.
Afinal ninguém define um final
Sem se empenhar no começo.

O final não é sinônimo de morte,
Não é antítese de início,
Não se compara com a vida
E não significa própriamente um final.

Se por acaso seu começo é fraco
E ainda teme um final,
Simples
Viva sempre no meio;
Pois é ai que você pensa que o livro não tem fim.

Nícholas Mendes (Puck Todd)

Tudo é mais do que pode parecer:

Tudo é mais do que pode parecer:
Veja as coisas com todos os olhos.