segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Único segredo dos amores:

As revoluções derrubam Muros
E as dores Adoecem o Dorso-do-peito.
As chaves dos segredos de um e de outro não se trocam;
Os segredos são os pais das Revoluções.

Os castelos do Corpo, humano, se cansam,
Um cansa, pouco a pouco, o outro.
Já o intercâmbio das chaves não resolve. Os Amores se cansam;
As Revelações são as mães das Revoluções.

Que seja infinito?
Nem as estrelas estão tão longe.
Quem sabe seja eterno? Terno é o peito de quem ama.

Que não seja eterno,
Pois é Efêmero,
Mas que sejam Flores enquanto durem.

Nícholas Osório Mendes  

6 comentários:

Lun4tika disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lun4tika disse...

e nós somos frutos das revoluções
perecemos sem ser comidos
apodrecemos
a espera de uma nova era?
?

www.sabadoeterno.tumblr.com

Meison disse...

Será que esse poema foi o que originou o dito popular "Que seja eterno enquanto dure"?

Parabéns pelo site...

Abs,
Meison

Ana Tapadas disse...

Livres para sonhar...sempre!

Lock Smith disse...

I was very pleased to find this site.I wanted to thank you for this great read!! I definitely enjoying every little bit of it and I have you bookmarked to check out new stuff you post. grey fabric

Nícholas Mendes disse...

Find my facebook

Nícholas Osório Mendes

Notas do autor:

Coloquemos uma coisa na nossa cabeça;
Que ainda falta muito para um final.
Afinal ninguém define um final
Sem se empenhar no começo.

O final não é sinônimo de morte,
Não é antítese de início,
Não se compara com a vida
E não significa própriamente um final.

Se por acaso seu começo é fraco
E ainda teme um final,
Simples
Viva sempre no meio;
Pois é ai que você pensa que o livro não tem fim.

Nícholas Mendes (Puck Todd)

Tudo é mais do que pode parecer:

Tudo é mais do que pode parecer:
Veja as coisas com todos os olhos.