sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Parece o Haiti, Parece a Africa, Parece coisa de atrasado.

(Ao som de "Haiti; Caetano Veloso & Gilberto Gil.)

Todos são presos.
Quase Brancos
Quase Pretos
São Mulatos calados
camuflados, torturados,
Exilados, excomungados,
Esquecidos, Iludidos.
Todos são um pouco mal
Quase Homem
Quase Animal
São Gente amarrada,
Amordaçada, cagada,
Fedida, esquecida,
Bandida, guerriada...
São pretos, pobres e presos.
Todos são presos e pretos
São quase sempre pobres e pretos
Estão todos pobres e presos.
Todo mundo tá no fim
Naquele mundo de preto
Que são metade fome
Que são metade sede
Que são metade morte
Que são metade que mata.

Nícholas Mendes (Puck Todd)

3 comentários:

mad bunny b; disse...

mtooo phoda!!!
so esqueceu de dizer que tambem parece o brasil HSUASHUASHAUH
BRINKS
seriao, adorei *-*

Natalia disse...

hahaha, me lembrou justamente a musica que te inspirou!!!

Marcela Hebeler disse...

adorei...;-)

Notas do autor:

Coloquemos uma coisa na nossa cabeça;
Que ainda falta muito para um final.
Afinal ninguém define um final
Sem se empenhar no começo.

O final não é sinônimo de morte,
Não é antítese de início,
Não se compara com a vida
E não significa própriamente um final.

Se por acaso seu começo é fraco
E ainda teme um final,
Simples
Viva sempre no meio;
Pois é ai que você pensa que o livro não tem fim.

Nícholas Mendes (Puck Todd)

Tudo é mais do que pode parecer:

Tudo é mais do que pode parecer:
Veja as coisas com todos os olhos.